Alliance of Cocoa Producing Countries
MEMBER COUNTRIES ACTIVITIES RESEARCH INFO RESOURCES FORUM HOME

17th ICRC   
ICRC Register   

Member Countries   

Activities   

Research Info   

Resources   

Forum   

Home   



Newsletters
1st - 5th July 2013
Earlier Newsletters

Alliance of Cocoa
Producing Countries

National Assembly Complex
Tafawa Balewa Square
P.O. Box 1718
Lagos, Nigeria
+234-70-9814-1735
+234-70-9814-1736
Fax:
+234-70-9814-1734
info@copal-cpa.org
17icrc@copal-cpa.org

 
17a CONFERNCIA INTERNACIONAL DE PESQUISA DO CACAU
 

HILTON HOTEL
YAOUNDÉ – CAMARÕES

From  15 - 20   OUTUBRO  2012
ORGANIZADA PELA ALIANÇA DOS PAÍSES PRODUTORES DE CACAU EM COLABORAÇÃO COM O GOVERNO DOS CAMARÕES

TEMA: Melhorar a rentabilidade de pequenas e médias plantações: chave principal para uma economia cacaueira mundial sustentável

Este tema deverá ser desenvolvido através de comunicações científicas focando especialmente no seguinte
1.  1. Práticas agrícolas que levem em consideração:

i) A escassez de terra disponvel para a cultura do cacau,
ii) A necessidade de maximizar a productividade de pequenas e médias plantações,
iii) O impacto de alterações climáticas na cultura do cacau,
iv) O impacto da degradação do solo nos estoques de cacaueiro no cultivo de cacau,
v) O ambiente,
vi) A necessidade de prolongar a duração da vida dos pomares de cacaueiros,
vii) As possibilidades de utilizao do sistema agro-florestal na cultura do cacau;

2.  As práticas e estratégias visando restabelecer a custo mínimo, a fertilidade dos solos dos pomares de cacaueiros;
3.  Métodos eficazes de controle de doenças e pragas, respeitando o ambiente bem como a saúde do produtor e do consumidor de cacau;
4.  Os benefícios do cacau e dos seus derivados para a saúde humana e o uso e difusão dos dados associados;
5.  As formas e meios para reduzir ou mesmo suprimir a eventual presença de contaminantes no cacau e nos seus derivados;
6.  O desenvolvimento e a implementação de políticas de gestão da produção do cacau de modo a fazer corresponder a oferta à procura;
7.  O desenvolvimento e a implementao de polticas de gesto da produo do cacau de modo a fazer corresponder a oferta procura;
8.  O impacto da falta de transparência no funcionamento do mercado final e na gestão dos estoques de cacau e dos seus derivados, na sustentabilidade da cultura do cacau;
9.  Mecanismos eficientes de transferência de tecnologias;
10.  Tipos de marketing interno e seus impactos na sustentabilidade da cultura do cacau;
11.  O impacto das condições de no meio rural sobre a sustentabilidade da cultura do cacau;
12.  Ferramentas de processamento do cacau em nível do produtor;
13.  Práticas e estratégias visando o aumento do uso do cacau e dos seus derivados;
14.  Fatores socioeconômicos que prejudicam a rentabilidade das pequenas e médias explorações cacaueiras e como os remediar;
15.  Políticas agrícolas favoráveis à melhoria da rentabilidade das pequenas e médias explorações cacaueiras.
As sessões da conferência discutirão os seguintes temas
i.  Genética e melhoramento
ii.  Agronomia, sistema agro-florestal, fisiologia, solos e nutrição
iii.  Pragas e doenças
iv.  Química, Tecnologia e Qualidade
v.  Utilizao eficiente do cacau e seus derivados
vi.  Aumento do consumo do cacau através de promoção genérica
vii.  Novos e no tradicionais usos do cacau
viii.  Transferência de tecnologias e utilização eficiente dos resultados da pesquisa em cacau
ix.  Marketing e socioeconomia
x.  Outros aspectos da investigação, incluindo o ambiente
A seguir à Conferência se realizarão as reuniões da INGENIC, INCOPED e INAFORESTA de 21 a 22 de Outubro, 2012.

Os autores deverão elaborar um sumário com cerca de 400 palavras; este sumário deve incluir toda a informação essencial em relação a objetivos, material e métodos, resultados e conclusões, excluindo títulos das secções, figuras, gráficos, tabelas e referências. O texto deve ser dactilografado a espaço simples, numa folha A4 (210 x 297 mm), com uma margem de 4 cm à esquerda e de 2 cm nos outros lados. A fonte recomendada é Times New Roman tamanho 10.
A seleção das comunicações a serem apresentadas na Conferência será realizada a partir destes sumários.
Uma cópia do sumário deve ser enviada ao seguinte endereço, a mais tardar o 31 de janeiro de 2012.
The Secretary General
(Subject: 17th International Cocoa Research Conference)
Alliance of Cocoa Producing Countries
National Assembly Complex
P.O. Box 1718
Lagos, Nigeria
Tel: +234-70-9814-1735 / +234-70-9814-1736
Fax: +234-70-9814-1734
E-mail: 17icrc@copal-cpa.org
O texto completo da comunicação deve ser precedido do sumário enviado anteriormente e deve respeitar os mesmos espaços e as mesmas margens indicadas para o sumário na página anterior. Recomenda-se a utilização da fonte Times New Roman, tamanho 10. A contribuição completa não deve ultrapassar 3000 palavras, incluindo tabelas, figuras e gráficos. Cada tabela, figura ou gráfico é considerada como equivalendo ao número de palavras que poderiam ter sido digitadas num espaço equivalente. Uma comunicação convidada não deve ultrapassar as 9000 palavras, incluindo tabelas, figuras e gráficos.

Cada participante pode apresentar um máximo de duas comunicações como Único Autor e Autor Principal. O nome do autor pode, no entanto, aparecer como contribuinte noutras comunicações.

As figuras, tabelas, fotografias e gráficos devem estar na posição exata no texto da comunicação.

Os autores devem seguir as regras para a apresentação indicadas nas «Guia para autores das comunicações» (em anexo).
Cópia eletrônica (em CD ou disquete)
Para facilitar a elaboração dos Proceedings impressos e em CD-ROM, solicita-se aos autores que enviem suas apresentações por e-mail (como anexos) ou em CD.

As etiquetas dos CD ou disquetes devem permitir a clara identificação do autor e o título da comunicação. De modo a garantir uma uniformidade na apresentação, deve utilizar-se «Word para Windows», a fonte Times New Roman e o tamanho da fonte 10. Para as figuras e tabelas, por favor, utilize «Word» ou «Excel».
Apresentação oral
Assim, os autores devem elaborar por escrito o texto da sua intervenção, selecionando os pontos principais da sua comunicação e fornecendo uma explicação para as tabelas, diapositivos, etc. Devem trazer oito cópias da sua respectiva intervenção para a conferência a fim de facilitar a tarefa dos serviços de tradução. A elaboração desta apresentação oral é crucial para o êxito da conferência. (palestrantes: até um máximo de 1000 palavras, palestrantes convidados: até um máximo de 3000 palavras).

Para garantir o bom funcionamento da Conferência, os palestrantes e palestrantes convidados não devem ultrapassar os tempos de 10 ou 30 minutos, respectivamente, que lhes são atribuídos.
Apresentação em pósters
Adicionalmente às sessões orais, algumas comunicações podem ser apresentadas sob a forma de cartazes (desenhos, brochuras, amostras, etc.). Estas sessões de pósteres deverão corresponder, tanto quanto possível, com as sessões relevantes da Conferência. Os autores devem indicar se preferem que as suas comunicações sejam incluídas nas sessões de pôsteres. Neste caso, as suas comunicações deverão cumprir com as normas definidas nas Diretrizes para palestrantes.
DATA LIMITE PARA SUBMISSÃO
Uma cópia impressa do trabalho completo e um CD devem ser enviados para o seguinte endereço a mais tardar até 30 de junho de 2012 .
The Secretary General
(Subject: 17th International Cocoa Research Conference)
Alliance of Cocoa Producing Countries
Brick House, National Assembly Complex,
Tafawa Balewa Square
P.O. Box 1718
Lagos, Nigeria
Tel: +234-70-9814-1735 / +234-70-9814-1736
Fax: +234-70-9814-1734
E-mail: 17icrc@copal-cpa.org
SÉTIMO WORKSHOP INGENIC
O 7º Workshop INGENIC será realizado imediatamente após a 17ª Conferência Internacional sobre Investigação Cacaueira da COPAL no Hilton Hotel em Yaoundé, no Domingo 21 e Segunda-feira 22 Outubro de 2012.

TEMA: O Conselho Directivo do INGENIC tem o prazer de anunciar que o tópico para o Sétimo Workshop será «O Estado Actual e Abordagens Futuras para o Desenvolvimento da Variedade de Cacau».

TÓPICOS: Os tópicos do workshop compreendem:
1. Lista das melhores variedades actuais seleccionadas e recomendadas, origem genética e principais características;
2. Evidência apoiando a superioridade destas variedades em ensaios de melhoramento e nos campos dos rendeiros;
3. Distribuição e utilização de variedades recomendadas, incluindo restrições;
4. Perspectivas futuras, abordagens e necessidades para a selecção de novas variedades;
5. Potencial impacto da Sequência do Genoma do Cacau na melhoria do cacau;
6. Progresso na propagação em massa de clones superiores.

COMUNICAÇÕES:Os organizadores irão convidar criadores de institutos de investigação cacaueira a apresentar comunicações, incluindo os primeiros quatro tópicos na Segunda-feira 23 de Outubro. Serão também feitos convites para abordar os dois últimos tópicos a apresentar no Domingo 22 de Outubro. As apresentações no seu todo serão disponibilizadas em formato pdf no website do INGENIC e as comunicações completas serão publicadas nas actas do workshop. Os sumários das comunicações devem ser enviados para o Secretariado do INGENIC antes de 30 de Junho de 2012 e as comunicações completas antes de 31 de Agosto de 2012.
Pode fazer-se a pré-inscrição para o workshop enviando o nome, filiação e endereço E-mail para o Secretariado do INGENIC antes de 31 de Julho de 2012. Ser-lhe-á depois enviada informação detalhada sobre o workshop e sobre o hotel. A inscrição para o workshop do INGENIC será feita em conjunto com o INCOPED e o INAFORESTA, sendo a taxa (75 USD) paga em numerário ou com um cheque pessoal (apenas £ ou USD) no balcão de inscrição a 22 de Outubro de 2012 ou por meio de uma transferência acordada com o Secretariado do INGENIC.
CONTACTS: Secretary of INGENIC: Dr. Michelle End
c/o Cocoa Research Association Ltd.
Room G9, TOB1, Earley Gate
University of Reading, Reading
RG6 6AT, UK
Tel./Fax: (44) 1256 851082,
Email : michelle.end@cocoaresearch.org.uk

Chairman of INGENIC: Dr. Bertus Eskes
CIRAD, T80/02, Av. Agropolis, 34398 Montpellier Cedex 5, France
Tel : (33)467612904, E-mail: albertus.eskes@cirad.fr

Chairman of local organizing committee: Dr. Yves Bruno Efombagn
IRAD, BP2067, Yaoundé, Nkolbisson
Tel : (237)99427646, E-mail : efombagn@yahoo.fr

7º SEMINÁRIO DO INCOPED
O 7º Seminário do INCOPED será realizado 21 de Outubro, 2012 – imediatamente após a 17ª Conferência Internacional sobre Investigação Cacaueira da COPAL no Hilton Hotel em Yaoundé, nos Camarões. O Seminário será organizado em colaboração com a COPAL, INGENIC e INAFORESTA.

TEMA: «Pragas e Doenças Invasivas na Produção de Cacau: Desafios e Oportunidades»

A INCOPED aguarda com expectativa que os participantes utilizem esta plataforma para um brainstorming sobre desafios e oportunidades no que respeita a pragas e doenças actuais e potenciais nos seus respectivos países e sub-regiões, e para um maior incremento da nossa colaboração científica transfronteiriça. Esperamos que após esta reunião de um dia, possa ser elaborado um documento sobre a política para a abordagem de pragas e doenças actuais e potenciais para uma produção sustentável do cacau.
Será uma reunião muito empolgante e esperamos que possa participar neste grupo e nas oportunidades que temos pela frente.
CONTACTS: Para quaisquer questões, por favor contacte: O Presidente ou o Coordenador nas seguintes moradas:
Chairman of 7th INCOPED Seminar: Andrews Y. Akrofi
Cocoa Research Institute of Ghana
Kotoka International Airport
P.M.B. Accra, Ghana
Tel: (233) 27 609915/609900
(233) 81 22029/22040
Mob: (233) 244715009
Fax.: (233) 27 609901
E-mail: andrews.akrofi@wur.nl / andrewsakrofi@yahoo.com

Co-ordinator nacionais do 7a Seminar do INCOPED: Dr Luc Dibog
Entomologist, Central Entomological Laboratory
IRAD
P.O.Box 12 736 Yaounde, Cameroon
Tel.: (237)99 66 91 26 / 77 86 32 62
Fax.:(237)22 23 74 36
E-mal: lucdibog@yahoo.com
SIMPÓSIO DE INAFORESTA
A reunião do INAFORESTA será realizada a 22 de Outubro, 2012, imediatamente apósa 17ª Conferência Internacional sobre Investigação Cacaueira (ICRC) no Hilton Hotel, Yaoundé, Camarões.

TEMA: “Cacau e o Ambiente”

O INAFORESTA, um grupo científico internacional dedicado à análise e ao melhoramento das relações entre pessoas, cacau, árvores, florestas e o ambiente.
O Simpósio INAFORESTA é apoiado pela CATIE; CIRAD; Mars, Incorporated; COPAL e a Fundação Mundial do Cacau.
Os cientistas do INAFORESTA irão reunir-se num simpósio de um dia para examinar o estado actual da técnica e as perspectivas sobre três importantes temas ambientais da cultura cacaueira actual: 1) alterações climáticas; 2) fornecimento sustentável de cacau; e 3) conservação da biodiversidade. Uma sessão final, de encerramento concluirá o simpósio.
Cada sessão (2 horas) compreende um discurso principal (30 minutos), seguido por 3-4 apresentações científicas, curtas (15 minutos cada) e uma discussão plenária de 15 minutos. Cada sessão temática será complementada por sessões de posters aquando da abertura do simpósio e durante as pausas café. Os discursos principais, as apresentações científicas, orais, curtas, e os posters submetidos pelos participantes serão avaliados e seleccionados por um comité científico a nomear brevemente.
Keynote speeches, short scientific oral presentations, and posters submitted by the participants will be evaluated and selected by a scientific committee to be appointed soon.
Será elaborado um número especial da revista internacional «Forest Trees and Livelihoods» (Árvores florestais e Meios de Subsistência) com algumas comunicações seleccionadas do simpósio.

INSCRIÇÃO:A inscrição para o Workshop do INGENIC será feita em simultâneo com a da INCOPED e INAFORESTA sendo a taxa (75 USD) paga em numerário no momento da inscrição. Todas as actualizações sobre inscrição, submissão de contribuições e programa do simpósio serão difundidas regularmente em: www.biblioteca.catie.ac.cr/inaforesta.

CONTACTO : Para qualquer informação adicional, contacte:
Dr Eduardo Somarriba, CATIE, Turrialba, Costa Rica,
E-mail: esomarri@catie.ac.cr;
Skype: eduardo.somarriba.
Formulários de inscrição devem ser devolvidos ao país anfitrião até 1 de Setembro, 2012, para o seguinte endereço :
Registration Form   (For Online Registration Click here)
 Name :
 Address :
 Country :
 Date :
  Occupation :
  Organization :
  Address :
 Telephone :
 Fax :
 Email :
1. The Secretary General
(Subject: 17th International Cocoa Research Conference)
Alliance of Cocoa Producing Countries
Brick House, National Assembly Complex
Tafawa Balewa Square
P O Box 1718
Lagos, Nigeria
Tel: +234-70-9814-1735 / +234-70-9814-1736
Fax: +234-70-9814-1734
E-mail: 17icrc@copal-cpa.org

2. The Chairman
National Organising Committee
17th International Cocoa Research Conference
Ministry of Trade - National Cocoa and Coffee Board
Agronomic Development Research Institute
B.P. 501, Immeuble Rose
Yaound, Cameroon
Tel.: +237 22 22 00 70 / +237 33 42 42 35
Fax: +237 22 23 90 29 / +237 33 42 00 02
E-mail : oncc2003@yahoo.fr

As taxas de inscrição não dão direito a uma cópia dos Proceedings da Conferência. As taxas são pagáveis no local da Conferência, de acordo com a tabela seguinte:
Participantes nacionais dos Países Membros da Aliança US$250.00
Participantes de Países Não-Membros US$450.00
O pagamento da inscrição inclui o custo dos almoços durante os seis dias que dura a Conferência.

Será cobrada uma taxa adicional por pagamento tardio após a data limite para a inscrição equivalente a USD 50.
Pede-se às Instituições que enviem urgentemente a sua lista dos participantes para o país anfitrião

Os idiomas oficiais da Conferência são o Inglês, Francês, Português e Espanhol. Estará disponível um serviço de tradução simultânea apenas nestes idiomas.
Os cidadãos estrangeiros que desejem entrar nos Camarões devem ter um passaporte com um período de validade mínimo de seis meses a partir da data de chegada, assim como prova (bilhetes) para a continuação da sua viagem ou para o seu regresso.

Tipos de Vistos

Os cidadãos estrangeiros oriundos de países onde os Camarões não sejam representados por um posto diplomático ou consular podem, a título excepcional, obter um visto junto do posto de polícia fronteiriço ou de imigração no seu local de desembarque. Solicita-se a todos os delegados em causa que enviem ao Comité Nacional da Organização, com cópia para o Secretariado da COPAL, o seu passaporte digitalizado para se poder elaborar uma carta oficial atestando que o visto de entrada será entregue à chegada. O envio do passaporte digitalizado deverá ser feito pelo menos 30 dias antes da data da viagem.

 Categorias  Beneficiário   Validade  Entradas e Saídas
 Visto de trânsito  Estrangeiro em trânsito  Não mais de cinco (05) dias  Várias
 Visto de turismo   Visitante temporário em visita turística  Não mais de trinta (30) dias  Várias
 Visto temporário  Estrangeiro cuja permanência não é superior a três (03) meses  Não mais de três (03) meses   Várias
 Visto longa permanência  Estrangeiro cuja permanência é superior a três (03) meses  Não mais de seis (06) meses  Várias


Vistos de entrada não podem passar de uma categoria para outra. Não podem ser prorrogadas, salvo em caso de força maior ou com a autorização expressa do Delegado Geral da Segurança Nacional.

Com exceção do visto de longa permanência, nenhum visto dá direito ao exercício de qualquer atividade lucrativa ou profissional, nem à possibilidade de estudar nos Camarões.

Condições e modalidades de concessão de vistos de entrada

Visto de trânsito

  1. Passaporte ou qualquer outro documento de viagem válido por pelo menos 6 meses;
  2. Bilhete de avião válido até o destino final ou qualquer outro documento justificativo de continuação da viagem;
  3. Visto ou autorização de entrada no país de destino final;
  4. Certificados internacionais de vacinação exigidos.

Visto de turismo

  1. PPassaporte ou qualquer outro documento de viagem válido por pelo menos 6 meses;
  2. Bilhete de avião de retorno ou bilhete circular, ou, se for o caso, um certificado aduaneiro de apuramento;
  3. Certificados internacionais de vacinação exigidos;
  4. Documentos que justifiquem o objetivo da visita, bem com suficientes meios e condições de subsistência durante a estadia;
  5. Certificado de alojamento emitido pela pessoa que se compromete a alojar o visitante, ou um convite para um evento organizado no território nacional, ou ainda uma reserva confirmada do hotel, para o período de duração da estadia;
  6. Uma ordem de missão, no caso de missões oficiais.

Visto temporário

  1. Passaporte ou qualquer outro documento de viagem válido por pelo menos 6 meses;
  2. Bilhete de avião de retorno ou bilhete circular, ou, se for o caso, um certificado aduaneiro de apuramento;
  3. Certificados internacionais de vacinação exigidos;
  4. Documentos que justifiquem o objetivo da visita, bem com suficientes meios e condições de subsistência durante a estadia;
  5. Certificado de alojamento emitido pela pessoa que se compromete a alojar o visitante, ou um convite para um evento organizado no território nacional, ou ainda uma reserva confirmada do hotel, para o período de duração da estadia;
  6. Uma ordem de missão, no caso de missões oficiais.

Alem dos estrangeiros em trânsito, são chamados visitantes temporários:

Visitantes privados: Os estrangeiros que, tendo decidido permanecer nos Camarões por escolha, são alojados por um membro da sua própria família ou por uma família amiga.
Turistas: Os estrangeiros que realizem uma viagem de lazer aos Camarões e estão alojados em um estabelecimento, a título individual ou como parte de uma viagem organizada ou pacote turístico.
Pessoas em missão: Os estrangeiros que venham aos Camarões a título oficial no quadro das suas atividades profissionais.
Homens de negócios: Indivíduos que exerçam a título pessoal, qualquer atividade profissional com fins lucrativos, à exceção dos artistas e dos agentes culturais.
Promotores: Indivíduos cuja atividade profissional consiste em alocar recursos financeiros para investimentos de caráter econômico, científico, técnico, agrícola, pastoral, cultural ou desportivo.
Convidados ou participantes em evento organizado no território nacional: Estrangeiros portadores de um convite individual ou coletivo para participar, a título pessoal ou fazendo parte de uma delegação, em evento de caráter econômico, científico, técnico, agrícola, pastoral, cultural ou desportivo.

Os participantes na Conferência serão recebidos no Aeroporto por um comitê de recepção. É importante que os delegados se registrarem o mais rapidamente possível, indicando por fax ou por e-mail a data da sua chegada, o número do vôo e a companhia aérea, e se tem acompanhante. Agradecemos que informem ao Secretariado sobre os delegados que cheguem após essas datas, e que possam necessitar de assistência especial. Os delegados podem também dirigir-se ao local da Conferência e ao hotel oficial de táxi à saída do aeroporto.

Será preparado um programa completo de atividades para os cônjuges incluindo visitas às magníficas praias de Kribi e a locais naturais nos arredores de Yaoundé, com espetáculos de dança BUMA, típicos dos pigmeus do sul da floresta equatorial, e visitas culturais ao interior dos Camarões.
INFORMAÇÕES ADICIONAIS :
Os Participantes não devem hesitar em pedir informações adicionais sobre a Conferência.Para obter informações sobre os Camarões, por favor, contate :
The Chairman
National Organising Committee
17th International Cocoa Research Conference
Ministry of Trade - National Cocoa and Coffee Board
Agronomic Development Research Institute
B.P. 501, Immeuble Rose
Yaound, Cameroon
Tel.: +237 22 22 00 70 / +237 33 42 42 35
Fax: +237 22 23 90 29 / +237 33 42 00 02
E-mail :oncc2003@yahoo.fr

Para quaisquer informações sobre a Conferência, por favor, contate o Secretário Geral da COPAL em Lagos, Nigéria
The Secretary General
Alliance of Cocoa Producing Countries
Brick House, National Assembly Complex
Tafawa Balewa Square
P O Box 1718
Lagos, Nigeria
Tel: +234-70-9814-1735 / +234-70-9814-1736
Fax: +234-70-9814-1734
E-mail: 17icrc@copal-cpa.org

Camarões: África em miniatura

A história dos Camarões é especial, pois foi neste país que tiveram início as mais importantes migrações humanas, durante os últimos 4000 anos. Dados arqueológicos, linguísticos e genéticos sugerem que foi a partir dos Camarões e da Nigéria que o grupo de povos Bantos, que forma atualmente um terço da população africana, deu início à sua disseminação na África Subsaariana.

Os Camarões situam-se na África Central, no Golfo da Guiné, um pouco acima do Equador, e estendem-se do Lago Chade até a costa atlântica. È limitado ao Norte pelo Chade, ao Leste pela República Centrafricana, ao Sul pelo Congo, Gabão e pela Guiné Equatorial e ao Oeste pela Nigéria.

Em 1472, o navegador português Fernando Pó, fugindo do Monte Camarões (4070 m de altitude) em plena erupção, atinge a foz do rio Wouri, onde encontra uma grande quantidade de camarões. Chama a este local rio dos Camarões, que será transformado em Camarones pelos Espanhóis e mais tarde, em Cameroun pelos Franceses.

Em 1884, os Camarões que até então tinham sido local de passagem de inúmeros comerciantes e missionários, torna-se uma colônia Alemã, em consequência dos tratados assinados com os chefes Dualas. Após o armistício de 1918, os Camarões são colocados sob mandato francês. Em 1945, o estatuto de mandato é transformado em tutela. Em 1958, o território obtém uma autonomia interna antes de obter a independência plena em 1960.

O primeiro Presidente foi Ahmadou Ahidjo, a quem sucede, em 1982, o atual Presidente o Senhor Paul Biya.

Com uma área de 475.442 km2 e uma população de 19.406.100 habitantes, os Camarões incluem diversas grandes cidades como Yaoundé, a capital política do país, com mais de dois milhões de habitantes, situada a 250 km da costa e a 700 m de altitude e Douala, a capital econômica, que conta com cerca de três milhões de habitantes. É aí que se situa o principal porto do país. A seguir vêm diversas cidades como Garoua, Bafoussam, Maroua, Bamenda, Limbe, Kribi, Foumban, Dschang, Kumba, que são importantes centros urbanos.

Nos Camarões existem 240 etnias, divididas em três grandes grupos (Bantus, Semi-Bantus e Sudaneses). O Francês e o Inglês são as línguas oficiais, faladas respectivamente por 70 e 30% da população. O Espanhol e o Alemão são também conhecidos por grande número dos habitantes das cidades. O país, no seu conjunto, possui cerca de 240 línguas e dialetos.

À diversidade étnica se junta uma diversidade geográfica, aliando florestas equatoriais, savanas, a região do Sahel e a uma zona semidesértica, por um lado, e uma cadeia montanhosa e uma zona costeira de 400 km no Atlântico, por outro,. Esta diversidade étnica, climática e geográfica transforma os Camarões numa África em miniatura.

Camarões é um estado laico. Há duas principais religiões praticadas no país: o Cristianismo e o Islamismo. O Animismo é praticado por diversas populações.

A Agricultura Camaronesa

Camarões é normalmente chamado o «celeiro da África Central». O país é a principal fonte de abastecimento dos países da sub-região em produtos alimenticios. O documento de Estratégia de Desenvolvimento do Sector Rural estabelecia as seguintes estimativas anuais em 2005:

  1. Cereais : 1,686,000 toneladas
  2. Raízes e tubérculos: 3,836,000 toneladas
  3. Leguminosas: 300,000 toneladas
  4. Oleaginosas: 239,000 toneladas
  5. Legumes: 1,405,000 toneladas
  6. Frutos: 2,282,000 toneladas
  7. Óleo de palma: 177,000 toneladas

Camarões é também um produtor importante de produtos rentáveis e de matérias-primas agrícolas de exportação, em particular banana, madeira, borracha, café, algodão e cacau.

A cultura do cacau Camaronesa

O cacau foi introduzido em 1887 na atual região de Limbe, pela administração alemã que viu no seu cultivo um excelente meio de promover o pacto colonial. O cacau é o produto de bandeira da colonização alemã. Nas vésperas da primeira guerra mundial, é na atual região de Limbe se situava a maior plantação de cacau conhecida do mundo. Com uma área de cerca de 7.800 hectares, pertencia à West Afrikanishe Pflanzung Victoria (WAPV). Após a primeira guerra mundial, as administrações francesas e britânicas assumem o controle da distribuição das matérias-primas agrícolas. O cacau continua a ocupar um lugar preponderante ao lado do café e de outros produtos tropicais, como algodão, tabaco, banana, borracha e ao dendê.

Foram tomadas diversas medidas de incentivo, tal como a medalha da Ordem de Mérito Indígena para o cacau, e depois várias medidas coercivas por meio da Lei do Indigenato e do imposto de votação. Seguidamente, a administração colonial implementa uma política efetiva de apoio ao cultivo de matérias-primas agrícolas. São autorizados apoios financeiros para desenvolver a produção, em particular através da criação, equipamento e funcionamento de centros de pesquisa e extensão agrícola.

As primeiras colheitas anuais registradas durante o período 1901/1904 alcançaram 1.000 toneladas. Imediatamente após a segunda guerra mundial, a produção eleva-se a 41.000 toneladas e atinge as 80.000 toneladas após a sua independência, em particular durante o período 1960/1964. Atravessa em seguida um período de aumento constante até ao início dos anos 1970, em que a totalidade das plantações coloniais atinge a sua capacidade plena, com uma produção próxima das 120.000 toneladas. Em seguida, o setor cacaueiro estagna até 2008/2009, o ano em que se ultrapassam as 200.000 toneladas. As últimas estatísticas relatam cerca de 210.000 toneladas registradas em 2009/2010.

Durante muito tempo, a maior parte da produção cacaueira dos Camarões foi de variedades Trinitárias, híbridos que combinam a rusticidade do grupo Forastero e o fino aroma do grupo Criollo. A IRAD e a SODECAO, dois organismos encarregados, respectivamente, da pesquisa e do desenvolvimento da cultura do cacau, têm produzido e popularizado novos cruzamentos a partir de clones diferentes. Estes cruzamentos têm a particularidade de resistir melhor à podridão parda e aos capsídeos, principais pragas do cacaueiro nos Camarões. Apresentam, além disso, uma melhor produtividade, entre 700 kg e 1000 kg/ha aos 18 meses, contra os 369 kg/ha ao fim de 5 a 6 anos das variedades tradicionais introduzidas pela administração colonial. O cacau dos Camarões é conhecido pelo seu forte teor em manteiga e pela sua cor vermelho ocre, ideais para a fabricação de pó de cacau, qualidades que o tornam uma matéria-prima muito procurada pela indústria transformadora.

O cacau é a principal cultura de exportação dos Camarões. A cultura do cacau é uma atividade tradicional bem como uma importante fonte de emprego no meio rural. Em 1986/87, haviam 453.000 hectares plantados. Juntamente com o café, o cacau constitui o meio de vida de mais de 600.000 produtores, beneficiando direta ou indiretamente 6.000.000 de pessoas e representa 40% das exportações do sector primário.

O sector do cacau dos Camarões é totalmente liberalizado. Existem cinco órgãos nacionais que participam na sua supervisão:

• O Office National du Cacao et du Café (ONCC), órgão administrativo encarregado, entre outras coisas, de monitorar a qualidade da exportação e da representação do Estado junto aos organismos internacionais do cacau e do café.
• O Conseil Interprofessionnel du Cacao et du Café (CICC), órgão coletivo que agrupa organizações profissionais da Agricultura, do Comércio e da Indústria, e dos Serviços dos sectores Cacau e Café. O seu papel é estabilizar e organizar eficazmente o mercado doméstico do cacau e do café.
• O Fonds de Développement du Cacao et du Café (FODECC), cuja missão é proporcionar serviços de apoio financeiro aos projetos relacionados ao cacau e ao café.
•O Institut de Recherche pour Le Développement (IRAD), cuja missão, que cobre todos os produtos agrícolas, é melhorar a qualidade e a produção da semente básica.
• A Société de Développement du Cacao (SODECAO), difunde, nas áreas rurais, os resultados provenientes da pesquisa em cacau.

Geografia, História:

Yaoundé, capital dos Camarões, situa-se ao sul da Província Central. É uma cidade verdejante, atravessada por pequenos córregos e encravada sobre sete colinas. A sua temperatura média é de 23° C em outubro. Tem uma área de 304 km2, dividida em sete territórios com mais de uma centena de distritos.

Fundada a 30 de Novembro de 1989, Yaoundé era um posto militar Alemão, que se desenvolveu graças aos comerciantes alemães que aí faziam a sua base para o comércio de marfim. A cidade foi ocupada por tropas belgas durante a Primeira Guerra Mundial, antes de ser colocada sob proteção francesa, no final da Grande Guerra. A partir de 1957, Yaoundé experimenta um êxodo constante, por causa da crise do cacau e dos problemas sociopolíticos que atingiram Douala, então a sua maior metrópole.

Administração, Economia, Ensino:

É em Yaoundé que se situa a Presidência de República dos Camarões, os edifícios ministeriais e os serviços do Governo da Província Central. É sede de instituições internacionais, tal como o Banco dos Países da África Central (BEAC).

É uma cidade essencialmente terciária, que dispõe de um centro comercial principal, por volta da Avenida Kennedy e de vários mercados, sendo os maiores o mercado Central, o mercado Mokolo e o mercado do Mfoundi, onde se pode respirar o ambiente de um mercado tropical.

Yaoundé tem duas universidades estatais: as universidades de Yaoundé I e de Yaoundé II, às quais estão ligadas a Escola Politécnica Nacional Superior, a Escola Nacional Superior de Agronomia, a Escola Superior de Obras Públicas, a Escola Normal Superior, o Instituto Internacional de Relações Internacionais, a Escola Superior de Ciências e Tecnologias da Informação e da Comunicação.

A capital Camaronesa possui igualmente diversos estabelecimentos de ensino superior privados, como a Universidade Católica da África Central, a Universidade Protestante da África Central, a Universidade de Yaoundé Sul Ndi Samba e o Instituto Superior Siantou.

Patrimônio, Turismo:

A cidade possui uma renovada rede viária, e que está atualmente em processo de expansão, no seguimento dos trabalhos realizados durante os últimos anos pela comunidade urbana de Yaoundé. Os edifícios mais atrativos são a sede do BEAC, a torre da Sociedade Nacional de Investimentos, o hotel Hilton, a Presidência da República, o Palácio dos Congressos, o hotel Mont-Fébé e os edifícios ministeriais.

Existem diversos jardins públicos perto da Câmara Municipal, no bairro Fébé, junto do monumento a Charles Atangana no centro da cidade e à volta do Palácio dos Congressos.
Existem também alguns parques de atrações, como os parques Kiriakides no bairro Djoungolo e o Bois Sainte-Anastasie situado na intersecção Warda. Não sendo uma lista exaustiva, apresentamos a seguir outros locais ou monumentos que merecem uma visita:

O Museu Nacional, situado no centro da cidade
O monumento da reunificação, junto da Assembléia Nacional.
O monte Fébé.
O edifício histórico da chefia de Ewondo no bairro Efoulan.
O parque zoo-botânico de Mvog-Beti.
A catedral Notre-Dame des Victoires situada no centro da cidade.
O Centro Cultural Camaronês, situado no bairro Nlongkak.
O Museu de Arte dos Camarões, no mosteiro dos beneditinos do monte Fébé.
As Estelas do Dr. Eugène Japalavra.
A Capela EPC de Djoungolo.
O Palácio Charles Atangana.

Compras, Lazer:


O mercado de arte artesanal situado no monte Ane-rouge no centro da cidade permite ao visitante estrangeiro adquirir obras específicas do patrimônio cultural dos Camarões.

Há vários cabarés onde se podem ver artistas locais ao vivo. Um dos mais conhecidos é La Terre Battue.

Yaoundé tem também várias discotecas, sendo as mais conhecidas a Katios, a Sanza, o Safari, o Mvet e o Balafon.

Clima e Vestuário:

Yaoundé tem um clima ameno e agradável durante todo o ano. Dias cheios de sol durante a estação das chuvas, entre Agosto e Outubro, com tormentas tropicais alternando com o céu azul e o sol. A temperatura média diária em Yaoundé é cerca de 27°C (81°F) e de 23°C no mês de Outubro. A umidade relativa é elevada, cerca de 88 %. Comparativamente, há pouca diferença entre as temperaturas durante o dia e a noite. Aconselha-se o uso de vestuário ligeiro durante o dia, mas geralmente um casaco ou um casaco de malha leve torna-se necessário à noite.

Transporte:

Taxis no aeroporto o levarão ao seu hotel. Aconselhamos a utilização dos táxis citadinos amarelos. Pode reservar-se um táxi através do porteiro do hotel. O preço de um táxi citadino na recolha é de 200 FCFA, isto é € 0,30. Para uma corrida individual na cidade, deve discutir-se o preço, mas este em geral é de 1500 FCFA por hora (mínimo de € 2,30). Uma corrida para o aeroporto custa 3500 FCFA (€ 5,5) durante o dia, e 5000 FCFA (€ 8,0) à noite ou a partir das 18h.

Há um elevado número de hotéis recomendados em Yaoundé, Douala e noutras grandes cidades. Yaoundé, a cidade das sete colinas, oferece todo o tipo de acomodações, desde hotéis confortáveis e seguros para aqueles com um orçamento ajustado, até hotéis de padrão internacional e de grande luxo.

O visitante estrangeiro encontra nos Camarões uma cozinha internacional nos grandes centros hoteleiros, e nos restaurantes das grandes cidades. No entanto, a gastronomia dos Camarões é particularmente variada (peixe, carne, legumes e frutas frescas) e merece ser apreciada.

Obtiveram-se preços especiais para quartos (Taxas incluídas) para todos os participantes na Conferência bem como no Workshop do INGENIC, no Seminário do INCOPED e no Simpósio da INAFORESTA no local da Conferência: Hotel Hilton.

Todas as reservas são feitas na base do «primeiro a chegar, primeiro a ser servido». Para reservar, aconselham-se os participantes da Conferência / Workshop do INGENIC / Seminário do INCOPED / Simpósio da INAFORESTA a contactar diretament com o hotel e informar ao Secretariado da Conferência.

O transporte entre os hotéis e Hotel Hilton será fornecido pelo Comité Organizador Nacional durante a Conferência / Workshop do INGENIC / Seminário do INCOPED/ Simpósio da INAFORESTA.

HILTON HOTEL (5 estrelas)
Boulevard du 20 Mai
B.P. 11852 Yaoundé, Cameroun
Tel: (237) 223 36 46 Fax: (237) 222 32 10
Correo electrónico: reservations.yaounde@hilton.com
Persona de contacto: Mme OWONA Christiane

Tarifas negociadas (sem pequeno almoço)
Quarto standard: Single F CFA 102.000 TTC; Duplo: F CFA 112.000 TTC
Quarto Executive: Single F CFA 169.900 TTC; Duplo: F CFA 179.900 TTC
Quarto com alcova no andar simples: CFA 139.000 TTC
Suite com alcova no andar simples: F CFA 285.000 TTC
Suite com alcova no andar Executive: F CFA 316.000 TTC

Outros Hotéis:

1. HOTEL MONT FEBE (4 estrelas)
B.P. 711 Yaoundé, Cameroun
Tel: +237 22 21 40 02
Fax: +237 22 21 60 70
Correo electrónico : info@hotel-montfebe.com
Sitio Web: www.hotel-montfebe.com
Contato: Mrs Maureen NYUYKI : Tel : +237 96 20 58

Tarifas negociadas (sem pequeno almoço)
Quarto montanha (sem banheira): 60.000 F CFA
Quarto com alcova (banheira): 68.000 F CFA
Pequeno-almoço Continental: 5.800 F CFA
Pequeno-almoço Bufete: 7.000 F CFA

2. HOTEL DJEUGA (4 estrelas)
Avenue NARVICK
BP: 2659 Yaoundé
Tel: +237 22 22 46 46/ 22 22 64 57
Fax:+ 237 22 22 47 00/22 22 64 26
Correo electrónico: reservation@djeuga.com / manager@djeuga.com
Sitio Web: www.djeuga.com
Contato : Claire Françoise NLEND

Tarifas negociadas (sem pequeno almoço)
Quarto confort single ou duplo: 52.500 F CFA
Suite Junior: 90.000 F CFA
Suite Senior: 130.000 F CFA
Pequeno-almoço Bufete Light: 6.500 F CFA
Pequeno-almoço Bufete Continental: 9.500 F CFA

3. PRESTIGE HOTEL (2 estrelas)
B.P. 2697 Yaoundé
Tel: +237 22 22 60 55
Fax: +237 22 22 60 40
Correo electrónico: info.prestigehotel@yahoo.fr
Sitio Web: www.prestigehotel.biz


Negotiated tariffs (excluding breakfast)
Quarto Single: 22.800 F CFA
Quarto com banheira: 25.900 F CFA
Apartamento: 32.300 F CFA
Quarto com 2 camas: 35.500 F CFA

A moeda local é o franco CFA, que possui uma paridade fixa com o Euro (1 Euro = 656FCFA). No caso de outras moedas, o câmbio é atualizado diariamente. Pode trocar dinheiro no aeroporto , nos hotéis, nos bancos, mas também em casas de câmbio aprovadas. O horário normal dos bancos e das 7:30 às 15:00. Existem também caixas automáticas em diversos locais. É perigoso trocar moeda na rua.

For more information contact

Alliance of Cocoa Producing Countries,
National Assembly Complex,
Tafawa Balewa Square, P. O. Box 1718, Lagos, Nigeria.
Tel: +234-70-9814-1735 / +234-70-9814-1736.
Fax: +234-70-9814-1734.
Email:17icrc@copal-cpa.org

 

© Copyright 2006 - 2011, Alliance of Cocoa Producing Countries